livpadrao

Campanha contra a Mortalidade Materna

Publicado em

A Academia Liv através do Programa ODM – Objetivos para o Desenvolvimento do Milênio está durante todo o mês de Maio apoiando as ações que acontecem pela Campanha contra a Mortalidade Materna. Para os profissionais da Academia é de grande importância os cuidados e a realização dos pré-natais, bem como os cuidados com o corpo na fase pré gestacional, através da atividades físicas a fim de preparar o

corpo para uma gestação saudável e segura.

 

Por isso, durante todo este mês os professores focarão as orientações para conscientizar as mulheres quanto à  importância de uma gestação bem planejada e bem preparada nos aspectos nutricionais, físicos e fisiológicos. É importante ressaltar também a necessidade das consultas e exames ginecológicos periodicamente a fim de prevenir quaisquer tipos de doenças para que a gestação seja segura e tranquila.

 

Segundo o site de notícias BRASILSUS.COM.BR, O Paraná vem reduzindo os índices de mortalidade materna numa média anual de 3%. Hoje, o Estado tem um índice de 48 mortes por 100 mil nascidos vivos (dados de 2009). “Os números podem e devem ser melhorados. Não podemos continuar a aceitar que mortes evitáveis continuem acontecendo”, disse o secretário.

A Secretaria de Saúde, afirmou Caputo, investirá na capacitação das equipes da Sesa e dos municípios, atendendo as 22 regionais para atuar no atendimento às gestantes, integrando a atenção primária ao atendimento hospitalar. “Temos que priorizar o que de fato precisa ser priorizado. Vamos trabalhar em redes e a rede materno-infantil é uma das prioridades deste governo”, disse o secretário.

A coordenadora do Comitê, Eliana Carzino, disse que “o objetivo da reunião era exatamente apresentar aos gestores estaduais uma análise retrospectiva de 20 anos de vigilância da mortalidade materna e apontar falhas no sistema público”. O comitê paranaense trabalha para reduzir os índices de mortalidade materna a fim de atingir, até 2015, a meta estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que é de 22,6 mortes por 100 mil nascidos vivos.

Segundo levantamento do comitê, dos 150 mil partos realizados anualmente no Paraná apenas 2% têm complicações. “É nesse pequeno percentual que devemos concentrar nossas atenções. Se qualificarmos os hospitais para o atendimento adequado das gestações de risco e se a atenção básica realizar adequadamente o pré-natal de cada gestante, com certeza reduziremos o índice de mortalidade a níveis aceitáveis, e se cuidarmos das mães, com certeza também reduziremos os índices da mortalidade infantil”, analisa Eliana Carzino – Coordenadora do Comitê Mortalidade Materna.

Também participaram do encontro o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz e da coordenadora da Divisão de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente, Rogéria Fadel Ribas.

Objetivos do Milênio – Em setembro de 2000, em Nova Iorque, líderes de 189 países firmaram um pacto durante a Cúpula do Milênio, promovida pela Organização das Nações Unidas. Desse acordo nasceu a Declaração do Milênio, que estabeleceu como prioridade eliminar a extrema pobreza e a fome no planeta até 2015. Para tanto, foram definidos oito objetivos, os chamados Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), a serem alcançados por meio de ações específicas de combate à fome e à pobreza, associadas à implementação de políticas de saúde, saneamento, meio ambiente, educação, habitação e de promoção da igualdade de gênero e o pacto para o desenvolvimento. Melhorar a saúde da gestante e reduzir em 75% a mortalidade materna é a quinta meta dos objetivos do milênio.

 

Fonte: www.brasilsus.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>